Fale conosco

(61) 3702-6602/3039- 6602

Ponto de atendimento

Agenda sua avaliação grátis

Veja as novidades

Acesse nosso blog

Como identificar perda auditiva na infância

Quando se fala em deficiência auditiva, os dados são maiores do que se imagina. Ela pode aparecer de várias maneiras e por muitos motivos. Pode variar de grau, ser uma consequência de alguma lesão ou uma decorrência do passar dos anos.

Há também diversos fatores que podem prejudicar a audição. E a preocupação com este assunto só vem aumentando. Segundo a Organização Mundial da Saúde – OMS, cerca de 466 milhões de pessoas no mundo hoje sofrem com problemas auditivos. Deste total, 34 milhões são crianças.

Por isso, quanto mais informação, melhor. Neste artigo, vamos mostrar como identificar perda auditiva na infância.

Perda auditiva na infância: como identificar?

Embora a perda auditiva na infância seja, de modo geral, de difícil diagnóstico, são muitos os sinais que podem indicar a deficiência auditiva. Depende muito da idade. Se for o caso de bebês ainda, existe o teste da orelhinha ou triagem auditiva neonatal, que apresenta uma chance de diagnóstico precoce da deficiência auditiva.

Desde 2010 esse teste é obrigatório e realizado na própria maternidade. Ele consiste em colocar no bebê um pequeno fone, que interligado a um computador, emite um som de baixa frequência medindo as respostas dos ouvidos médios aos estímulos sonoros.

Já quando a criança é maiorzinha, outros sinais podem apontar a deficiência auditiva. Veja quais são e saiba que nem sempre são os pais que percebem. Professores, avós, tios ou monitores de creche também podem identificar sinais como:

  • A criança parece ouvir bem algumas vezes e em outras não;
  • Ela pede constantemente para aumentar o som da televisão, do celular, da música no carro;
  • Há uma diminuição do rendimento escolar ou bastante dificuldade de aprendizagem;
  • Frequentemente em uma conversa, a criança repete “o que?”;
  • A criança vira sempre a cabeça para o mesmo lado, como se escutasse melhor com um ouvido do que com o outro;
  • Há um atraso no desenvolvimento da linguagem e emissão descontrolada de vogais;
  • Alguns transtornos de comportamento, como agressividade, raiva e isolamento são identificados.

Diagnóstico precoce aumenta a chance de tratamento com resultado positivo

Como muitas outras doenças, na perda auditiva, quanto mais precoce for o diagnóstico, maior será a chance de resultado positivo. Saber qual é exatamente a deficiência da criança evita que, além da própria doença, ela seja acometida também por problemas na fala ou interferência no seu desenvolvimento neuropsicológico.  

Para confirmar o grau de deficiência auditiva, é necessário que seja feito um exame audiométrico, também conhecido por audiometria. É essa avaliação que aponta ao fonoaudiólogo e ao médico um diagnóstico claro para eles poderem apresentar uma solução para o problema.

Causas da perda auditiva em crianças

  • A deficiência auditiva pode ser causada por uma doença contraída pela mãe no decorrer da gestão, por exemplo uma infecção viral, como varíola, dengue, febre amarela, etc;
  • Produtos tóxicos também podem causar problemas de audição no feto, como alguns tipos de medicamentos. Por isso que há remédios não indicados para gestantes;
  • Bebês que nascem prematuramente, com peso de nascença inferior a 1,5 kilo também correm risco;
  • Em casos de icterícia grave ou se houver incompatibilidade sanguínea entre mãe e filho, pode haver sequela neurológica e/ou deficiência auditiva;
  • Outra causa em bebê pode ocorrer quando, na hora do parto, há muito sofrimento fetal e ele não recebe oxigênio suficiente.

Tratamentos para deficiência auditiva

Embora existam muitas opções de tratamento para a perda auditiva, a mais utilizada é com o uso de aparelhos auditivos e demais medicamentos que sejam necessários.

Os aparelhos auditivos são utilizados, principalmente, em bebês e crianças que apresentam pequeno grau de perda de audição, não ouvindo corretamente os sons. Existem aparelhos de todos os tipos e tamanhos. E os especialistas no assunto sabem indicar o mais apropriado para cada caso. O mais importante é que, ao sinal de qualquer dificuldade auditiva, consulte-se imediatamente um otorrinolaringologista para obter a orientação adequada.

Leia também: Os diferentes graus da perda auditiva e seus tratamentos

Os tipos mais comuns de deficiência auditiva e como identificá-las

Compartilhe

FAÇA UM TESTE GRÁTIS

    Mais posts