Fale conosco

(61) 3702-6602/3039- 6602

Ponto de atendimento

Agenda sua avaliação grátis

Veja as novidades

Acesse nosso blog

Cuidados básicos com os idosos da sua família

Nos últimos anos, cada vez mais pais acabam morando longe dos seus filhos ou dos parentes mais próximos, por motivos que variam entre aspectos econômicos e novos estilos de vida.

E, segundo dados do IBGE, a proporção de idosos, com 60 anos ou mais, cresceu 4,5% pontos percentuais somente entre 2005 e 2015. Essa informação demonstra o grande número de pessoas que não podem ser desamparadas.

Para garantir a segurança e a tranquilidade dos idosos, é fundamental a família ter alguns cuidados que, embora básicos, não podem ser esquecidos ou negligenciados. Afinal, quem já fez muito pelos filhos e pelo país merece aproveitar a terceira idade com suporte, não é mesmo? Acompanhe!

Cuidados básicos com os idosos da sua família

  • Embora atualmente haja várias formas de acompanhamento de idosos, inclusive aplicativos de monitoramento à distância durante 24 horas por dia, dê sempre preferência para o contato humano. Nessa fase da vida, o afeto físico faz toda a diferença entre as alternativas para assisti-los.
  • Uma boa conversa franca e transparente sobre os anseios deles e necessidades vistas sob a ótica deles ajuda muito a programar os próximos passos a serem seguidos pela família. O objetivo é promover a qualidade de vida que os idosos merecem.
  • Incentive-os a continuar aproveitando a vida de acordo com suas possibilidades físicas e financeiras. Quanto mais independentes eles envelhecerem, mais felizes se sentirão.
  • A felicidade está diretamente relacionada à qualidade de vida. Lembre-se dos costumes deles que, ao longo da vida, foram importantes. Afinal, já está mais do que provado que a longevidade não está relacionada somente a fatores genéticos e ambientais, ela depende dos bons hábitos das pessoas.
  • Estimule os idosos à prática regular de exercícios físicos, nem que seja duas vezes por semana. Essa periodicidade pode parecer pouco para quem é mais novo, mas ela já é capaz de reduzir em 45% os riscos de infarto entre idosos. Entre as atividades, uma boa opção para os idosos é a hidroginástica. Ela fortalece os músculos com menos impacto nos ossos e nas articulações, libera endorfina, proporciona bem-estar e melhora também a mobilidade, sem prejudicar a coluna.
  • Não descuide da hidratação. Seja por não terem o costume, por preguiça de levantar e até por esquecimento, dependendo do caso, percebe-se que idosos costumam tomar pouca água. A desidratação pode causar tonturas, infecções urinárias e intestinais, confusão mental, câimbras, espasmos, e até perda de consciência, em níveis mais graves.
  • O acompanhamento médico entre os idosos deve ser frequente. E estamos falando de todas as especialidades. A perda de audição, por exemplo, é uma deficiência que se desenvolve naturalmente com o avanço da idade. Se não tratada da melhor forma possível, pode ser responsável por vários outros problemas de saúde. Ainda, é natural que, com a idade, a dificuldade de enxergar também aumente, sendo necessária a visita ao oftalmologista. Atente-se para todas essas limitações que surjam a fim de promover, com segurança, uma qualidade de vida ao idoso.
  • Se o seu idoso tem dificuldade em ouvir a campainha ou o telefone, reclama de tonturas ou vertigens, sente-se ansioso e está se isolando cada vez mais do convívio social, fique atento e corra para uma consulta ao otorrinolaringologista. Caso seja diagnosticado uma perda auditiva, um aparelho auditivo pode ser ótima opção de tratamento graças ao seu desenvolvimento tecnológico.
  • Por fim, mas um dos pontos mais importantes: respeite os idosos do seu convívio. Nenhum dos cuidados acima são bem-vistos, caso sejam seguidos sem o consentimento da pessoa em questão. Uma vez consciente, o idoso é completamente capaz de tomar suas próprias decisões de vida. Cabe aos familiares oferecer o suporte necessário e apresentar caminhos positivos.

Leia também: Quais são os tipos mais comuns de perda auditiva e como identificar?

Os tipos mais comuns de deficiência auditiva e como identificá-las

Compartilhe

FAÇA UM TESTE GRÁTIS

    Mais posts