Fale conosco

(61) 3702-6602/3039- 6602

Ponto de atendimento

Agenda sua avaliação grátis

Veja as novidades

Acesse nosso blog

Secreção no ouvido: tire suas dúvidas sobre o assunto

Secreção no ouvido: tire suas dúvidas sobre o assunto

Sempre ouvimos falar em secreção, automaticamente já associamos a algum problema médico.  Agora, se a origem dessa secreção for no ouvido, a atenção deve ser redobrada. A otite supurada, nome científico da secreção no ouvido, ocorre quando a pressão do líquido no ouvido médio faz com que o tímpano seja pressionado.

Procure um médico!

Caso essa pressão seja muito grande, acaba estourando e fazendo a secreção vazar, aliviando consequentemente a dor do paciente. Quando isso ocorre é importante não colocar nada no ouvido – deixando o pus sair o máximo possível – e procurar ajuda médica rapidamente.

Isso não quer dizer, necessariamente, que haverá uma perda auditiva. Até, mesmo porque o tímpano é composto por uma membrana muito fina e com enorme capacidade de regeneração. Mas, mesmo assim, é fundamental a consulta no médico otorrinolaringologista, para a devida avaliação e orientação sobre os cuidados a serem tomados.

Sinais de alerta

Outros sinais de alerta podem indicar uma otite, com consequente secreção no ouvido, tais como:

  • Vertigem;
  • Dificuldade repentina de enxergar;
  • Dificuldade para falar e/ou engolir;
  • Perda de audição no ouvido com problema;
  • Inchaço na orelha;
  • Vermelhidão em volta dela.

Dependendo da causa da secreção, a sua aparência varia, podendo ser amarelada, branca, transparente e até uma coloração avermelhada, caso contenha um pouco de sangue. Se for causada por uma infecção bacteriana, por exemplo, provavelmente terá mau cheiro.

O que pode causar a secreção no ouvido?

A secreção no ouvido pode ser causada por infecções no ouvido interno ou externo, lesões na cabeça ou dentro do ouvido provocadas por algum objeto estranho. Há outras causas como as provenientes de algumas doenças hereditárias ou não e de acidentes. Veja as principais:

 

  • Uso de chupeta no caso dos bebês;
  • Convivência deles com outras crianças;
  • Sistema imunológico deficiente;
  • Alergias respiratórias;
  • Asma;
  • Estações ou períodos frios, quando aumenta o número de casos;
  • Doenças congênitas como Síndrome de Down ou fenda palatina;
  • Poeira, fumaça, principalmente de cigarro;
  • Barulhos extremos;
  • Histórico familiar recorrente;
  • Infecções anteriores.

 

 

Vale lembrar que em crianças até 3 anos de idade, a secreção no ouvido pode ocorrer com mais facilidade, inclusive dificultando a identificação do problema. É preciso ficar atento se o bebê se mostrar irritado, chorar frequentemente, colocar muito a mão na orelha ou apresentar febre. Nesse caso, pode ser sinal de otite. Procure o pediatra para confirmar este diagnóstico ou não.

Como é o tratamento?

A secreção no ouvido também pode ser causada por vírus. Neste caso, alguns pais desavisados ou com diagnóstico errado acabam utilizando antibióticos. O que não traz bons resultados já que para infecção virótica, o antibiótico não apresenta efeito algum.

Se tratar-se de crianças com idade inferior a 2 anos e a infecção for proveniente de contato com água contaminada, tudo indica que seja infecção bacteriana. Ai sim o médico pode indicar o uso de antibióticos.

Por mais que existam muitos outros tratamentos paliativos, sejam eles indicações de terceiros ou mesmo familiares, como compressas com água quente ou pingar óleos e outras coisas no ouvido, o certo mesmo e não fazer nada além de consultar um especialista para o tratamento adequado.

Prevenção

Como outros cuidados que temos com nossa saúde, também em relação à secreção nos ouvidos, há certas regras que podem ajudar a prevenir. Entre elas, a amamentação no peito para os bebês de até dois anos, evitar umidade ou entrada de água no ouvido, dieta saudável para crianças e adultos, cuidado especial com hastes flexíveis ou outros objetos.

Conheça e curta nossas redes sociais!

Compartilhe

FAÇA UM TESTE GRÁTIS

    Mais posts