Fale conosco

(61) 3702-6602/3039- 6602

Ponto de atendimento

Agenda sua avaliação grátis

Veja as novidades

Acesse nosso blog

Surdez súbita: o que causa e como tratar?

Saiba o que é a surdez súbita, o que causa e como tratá-la.

Doenças virais, infecções, o uso de alguns medicamentos e até mesmo a prática de atividades físicas intensas podem acarretar a surdez súbita. Você sabia disso?

Para saber mais sobre o que é a surdez súbita, bem como as suas causas e tratamentos, acompanhe o artigo!

O que é a surdez súbita?

A surdez súbita é caracterizada pela perda auditiva repentina ou pela piora abrupta de um problema auditivo preexistente.

Pode acontecer em um ou nos dois ouvidos e a sua ocorrência é maior em pessoas com mais de 40 anos.

Os graus de perda auditiva variam de moderado a grave. Geralmente, quando o quadro não é grave, há uma recuperação espontânea dentro de um período de 15 dias

Entretanto, para pacientes que apresentam uma perda auditiva severa acompanhada de vertigem, a probabilidade de melhora do quadro é menor.

A idade do paciente também interfere, quanto mais jovem, maior a possibilidade de obter uma recuperação completa.

 

O que causa a surdez súbita?

Existem alguns fatores que podem levar a pessoa a ter perda auditiva súbita, como:

Doenças virais

Catapora, caxumba, sarampo, gripe e mononucleose infecciosa são algumas das doenças virais que podem causar a surdez súbita. 

Elas podem provocar a perda auditiva de duas formas:

 

  • Infecções das vias aéreas superiores com posterior comprometimento da orelha média, o que ocasiona uma perda auditiva condutiva.

 

  • Invasão virótica da orelha interna, que causa lesão da cóclea e/ou do nervo auditivo.

 

Saiba mais sobre os principais tipos de perda auditiva

 

Medicamentos Ototóxicos

Algumas medicações podem causar lesões no ouvido, como um dos efeitos colaterais.

A superdosagem, bem como o uso prolongado desses medicamentos são os principais responsáveis.

Os fármacos com o maior potencial para desencadear essas reações adversas são:

 

  • antibióticos — amicacina, canamicina, estreptomicina, tobramicina, gentamicina, neomicina e vancomicina;

 

  • anti-inflamatórios — Diclofenaco, Etodolaco, Fenoprofen, Ibuprofeno, Indometacina, Naproxeno, Piroxicam e Inflamene;

 

  • quimioterápicos — cisplatina;

 

  • diuréticos — furosemida, ácido etacrínico, bumetanida e torasemida;

 

  • remédios para dor e febre — aspirina.

 

Ressalta-se, mais uma vez, que a toxicidade dos medicamentos é diretamente relacionada com a dose e o período de uso.

O dano auditivo pode ser temporário, bem como permanente, caso haja uso contínuo da medicação, devido ao acúmulo da substância no organismo.

Existe também um grupo de pessoas que possui uma doença genética rara que os torna mais suscetíveis à perda auditiva provocada pela classe de antibióticos chamados de aminoglicosídeos. É recomendado que essas pessoas façam exames de sangue durante o uso desses antibióticos para monitorar os níveis tóxicos capazes de causar a perda da audição.

Infecções

Diversas infecções, não só de ouvido, podem causar perda auditiva súbita durante ou imediatamente após a doença aguda.

As meningites e encefalites bacterianas e fúngicas podem levar a perda auditiva uni ou bilateral de grau profundo. Problemas auditivos sutis também podem ocorrer, o que justifica o déficit auditivo em pacientes que não têm perda auditiva aparente após a meningite bacteriana.

 

Leia mais: 

Como uma infecção de ouvido pode evoluir para a perda auditiva?

 

Mudanças de pressão ao praticar atividades físicas intensas

Ao se expor a mudanças de pressão durante um mergulho ou, menos frequentemente, ao levantar muito peso, é possível produzir um buraco (fístula) entre o ouvido médio e o interno.

Por vezes, essa fístula é de nascença e pode causar espontaneamente a perda auditiva súbita ou tornar a pessoa mais propensa à perda da audição caso seja submetida a mudanças de pressão ou lesione a cabeça.

Quais são os sintomas da surdez súbita?

Os sintomas variam de acordo com a causa da surdez súbita, mas, em geral, o paciente pode apresentar:

  • Percepção clara da redução da audição;
  • Zumbidos;
  • Vertigens (falsas sensações de movimentos);
  • Sensação de pressão nos ouvidos, como se estivessem obstruídos.

É estimado que em 70% dos casos, a surdez súbita vem acompanhada de zumbido que pode persistir por um longo período e em 30%, de vertigens que, na maioria dos casos, reduzem com o tempo. 

 

Tratamento da surdez súbita

Ao perceber os primeiros sinais da redução da audição e suspeitar de surdez súbita, é necessário buscar imediatamente um otorrinolaringologista. 

Quanto mais rápido for feito o atendimento médico, maiores são as chances de reverter o quadro. Após as primeiras 48 horas, as chances de ter um tratamento efetivo se reduzem drasticamente.

De modo geral, são realizados exames clínicos e de audiometria.

Uma vez confirmado o diagnóstico de surdez súbita, normalmente são prescritos medicamentos corticoides, anti-inflamatórios e/ou vasodilatadores para tratar o problema.

Em média, um terço dos pacientes tem alguma melhora e a idade também é um fator que influencia na recuperação. Quanto mais novos, mais chances de recuperarem completamente a audição.

Para casos mais severos, em que a perda auditiva é confirmada de modo permanente, é indicado o uso de aparelhos auditivos para preservar a qualidade auditiva do paciente. 

 

Caso perceba qualquer alteração na sua audição, não hesite em procurar um médico otorrinolaringologista o quanto antes!

Se você já foi diagnosticado com perda auditiva por um médico otorrinolaringologista e procura por aparelhos auditivos de qualidade, nós podemos te ajudar!

Clique aqui e conheça os melores aparelhos auditivos do mercado!

Compartilhe

FAÇA UM TESTE GRÁTIS

    Mais posts